tudo da verdade e da mentira,
trago sempre esta frescura,
persista o silêncio ou perdure
insensata a prudência
vossa de reiterar inocência
antes  que a palavra a descure.

 

GJ