Picture prompt: from picture to word #7

 

8

 

I’m too transparent, that’s my crime. It’s all over me, if words make it hard for you to believe – there have been so many car trips, so many forgoten stories and casualties to prove what you wanted to hear. There have been others, before, who took hold of my mind, of my reason. We were partners, me and them, partners in crime against each other, digging each other for something unknown to who we were back then. Through pain we’ve kept going, through pain we’ve avoided numbness, through withdrawl we’ve tackled the feelings we were addicted to, the ones we’ve managed to forget. Through pain we tried to make something better.

You may well search my body for proof, if what I say doesn’t translate. I bear my truth and a past for which I will not apologize. It hasn’t been too long since I was blood, dreams, pain, fear, soul searching sex, and yes, I have some stories, altough I’m a no good fella, not even a good story teller, whatsoever.

My past happened before I was who I am now and that is a story I can tell, if your intention is to get to know me well.

 

GJ

Picture prompt: from picture to word #6

 

887502_921785197869000_179245349355816018_o

 

It’s bound to happen, I’m aware of the pattern – when I’m fed up living with myself, I ought to find something else, someone else. It is you.

With you I share this emotion, which travels far beyond than the bubble we’ve blown ourselves in, setting it to motion. Delighted, in the here and now, after all, every waking hour feels brand new, and though we travel we stay.

Growing in this world, we’ve been led to believe it’s wrong being so free – hey love, let it be. It’s enough that we’ve seen war, that we’ve fought ourselves. Should this be, it will. I know of ego and I know of devotion, should I give it up and devote myself to you I’m at last released.

 

GJ

Picture prompt: from picture to word #5

 

6

 

I do talk too much whenever I’m stuck, when I can’t transform thoughts into intelligible and organized phrasing, when it’s over my head. In an effort to hold on to what it is that I really want to say but don’t know yet how to, I talk too much about everything, making up stories just to keep it going until it comes to me, venturing on mundane, petty,  silly, funny things. Whatever I’m not doing during this confusion is erased from my mind, I’ll do my best not to think about it. For what is worth, whenever words cannot be found, a great frustration rises from uncertainty, when it’s over the answer pounds my eardrums in constant echoes, each beating sounding clearer than the previous.

As I pronounce each word back into the void, a way out of the maze shows itself.

 

GJ

Picture prompt: from picture to word #4

 

Experiências

 

She is drifting on water. She conceals all a girl can feel. Her hand ever with poise sends everyone away. The boys, the boys and the praise, her and her boys in a haze of false pretenses. She wants to find her truth that blunders and she isn’t likely to handle it. She can’t handle loneliness, and it is when she walks  on water she becomes herself. She can’t handle love, washing down her flame.

 

GJ

Domingueiro?

Acompanho o mundo ao domingo, mas esta semana dediquei-me a blogs estrangeiros.

#1   Cantigas Medievais Galego-Portuguesas

Assim passei a minha manhã de Terça-Feira, ainda atordoado pelos long island iced teas, revisitando as cantigas medievais.

#2 Filme sobre o Metropolitano de Lisboa de 1959

Deixo a pequena pérola do passado. Apreciem bem a Lisboa de 1959 como pano de fundo das filmagens de rua.

#3   Sente-se uma fraude?

Um interessante artigo que li no Linkedin.

Passei os primeiros anos da minha vida profissional tentando dominar a arte do fingimento.

A faculdade foi difícil, mas pelo menos havia uma estrutura. Fazíamos os trabalhos. Fazíamos as provas. Ganhávamos notas, e as notas mostravam como estávamos indo.

#4   Oito incríveis bibliotecas infantis no mundo

Mais um motivo para ir à Tailândia.

#5   Como é o lugar onde escreve o escritor?

Há pessoas a fazer isto, a mostrar o local onde fazem os seus trabalhos, onde escrevem, onde criam. Ainda não sei o que pensar acerca disso.

#6  Satanatório

Sugiro este blog, de um rapaz sensato. Tenho gostado de o ler.

#7   Project Relish

Para os mais efusivos…

#8   Love Talk

Um blog onde se fala sobre relações, sentimentos e como alimentar uma saudável vida amorosa.

 

GJ

Domingo: vizinhança revista

Já vou a tarde e a más horas, as prioridades revezam-se a massacrar-me e as novidades do mundo apressam-se a passar despercebidas… mas eu não tiro os olhos de cima.

Esta semana revi alguns hábitos meus, incluindo o de ser mandão e exigente, lembrando o dia em que obriguei o meu pai a fazer mais uma chave de casa, para que pudesse voltar da escola sem ter de esperar por ninguém. Tinha eu cinco anos, farto dos outros miúdos e a querer paz e sossego. Isto tem alguma coisa de perturbador, mas defendo-me com a sensatez e presença de espírito de saber o que queria e o que era melhor para mim. Nem todas as crianças teriam esta auto-determinação.

Passada a confissão escusada, confiro agora o que me chamou à atenção e alegrou, esta semana. Aqui vai:

1º Quero falar-vos do Almeida Garcez: The Guilty Preacher Man! Que nome!
Apresenta-se, em inglês: Self-taught artist whose main focus is illustrating social issues. Available for collaborations.
Visitem a página, viajem na imaginação fluída, nos ácidos dos desenhos quase kitsh, nos separadores das antigas e novas ilustrações, vejam os pedaços da viajem fotográfica deste artista pela europa, os tesouros que trouxe.

Almeida Garcez: The Guilty Preacher Man!

2º Sou leitor ávido e assíduo de uma jovem indiana londrina e das short-stories que publica de surpresa, cuja escrita treinada, de grande poder descritivo e linguagem proper, lhe conferem lugar cativo no meu já muito calendarizado tempo virtual, guardando tempo para ler os extensos textos, sem parar.

Barely Here Nor There

 

3º Quero ainda mencionar um blog/site brasileiro, do qual tomei conhecimento através de Lourdes Rodrigues, que é o Oficina de Criação Literária Clarice Lispector. Promove-se o auto-conhecimento através da escrita! Apoio esta causa, a da auto-expressão e a do auto-conhecimento.

 

4º O Biblioklept mantém-me entretido, diariamente. Dizem, sobre o site suis generis:

Biblioklept was founded in AD 2006 by Edwin Turner. Reviews, rants, and riffs on books (and things that aren’t books). Interviews with authors, artists, filmmakers, publishers. Biblioklept posts short stories, poems, essays, and excerpts from many authors (mostly in the public domain, but sometimes not). Biblioklept also posts pretty pictures (and pictures that aren’t so pretty, perhaps). Paintings of readers and books. Film clips, full films, stuff like that.

 

5º Voltar a estudar foi um passo importante e, tendo isso em conta, vou antecipando alguns dos passos, para me preparar. Tenho estudado formas de ilustração, formatos de publicação, grelhas, tipografia, planeamento estratégico de um projecto editorial, e agora chego à infografia. O que é? Anna Vital; Information Designer .

6º Tenho lido alguns blogs de mulheres que são filhas, esposas e mães, que homenageiam as mães que tiveram, lembrando-as e partilhando as histórias e adversidades da idade madura. Este é um deles, e o que mais gosto: Those Were the Days
7º Para quem também escreve em inglês, encontrei estas ferramentas online para revisão de textos, erros ortográficos: Grammarly, e para feedback sobre textos: Autocrit – nem preciso dizer o quão entusiasmado fiquei.

8º Em último lugar, a Marvel disponibilizou bd’s para ler online. Destaco títulos como: Iron Man in Remote Possibilities; Captain America featuring Road Force in Endgame; Avengers #1 e ainda Thor: God of Thunder #1.

BD’s digitais Marvel gratuitas

 

 

GJ