Prece

Que nenhuma estrela queime o teu perfil

Que nenhum deus se lembre do teu nome

Que nem o vento passe onde tu passas.

Para ti criarei um dia puro

Livre como o vento e repetido

Como o florir das ondas ordenadas.

Prece, Sophia de Mello BreynerAndresen

 ——————————————————————

Nos seus fundos tomou um marinheiro o mar. –

Sua mãe vai e acende, por ignorar,

diante da Virgem uma alta vela

que volte depressa e faça bom tempo apela –

e não pára de escutar se o vento esmorece.

Porém enquanto ela reza e faz uma prece,

aquele ícone ouve, sério e triste,

que seu filho ao qual espera já não existe.

Prece, Kavafis

——————————————————————

Que do florir das ondas ordenadas,

possas vir tu a planar de volta

se um outro derrubar a tua nave,

cuspindo o teu engate,

se os monstros à solta,

 em águas mascaradas

cederem gélidos, inquietos.

Ousa, vence e domina. Beija-os

como ontem te beijei, suave.

 GJ

Anúncios