Já não me viste

Já não me viste

Tropecei nas ondas da minha agressão liberta ao te incendiar, ao atravessar a tua porta, e caí em desgraça, ai caí em desgraça; na vastidão sem substância, a minha antiga casa. Não me viste nem me vês.

Comentários

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s